Sobre as mulheres, há muito que se lhe diga. A nossa cabeça é um turbilhão de emoções e pensamentos, muitas vezes difíceis de compreender, mas há sempre uma explicação.

 

  Sempre ouvi dizer que as mulheres são complicadas, que têm uma cabeça que nenhum homem consegue entender, até certas mulheres falam assim de si. E têm razão....mas há sempre maneira de conseguir entendê-las.

Eu, como mulher que sou, posso afirmar que somos complicadas. Sobretudo com os nossos Maridos/ Namorados.

 Mas há sempre uma razão para cada Birra que fazemos, cada bate pé quando as coisas não são feitas à nossa maneira, quando damos em loucas quando o nosso marido não atende o telemóvel ou não responde às mensagens, quando chega mais tarde que o suposto ou quando deixa tudo espalhado porque pensa que está no século XVII.

Na realidade se não fossemos assim que piada tinha?! Os homens ás vezes também são simples demais.

 

 

 

1.  O que pensam as mulheres quando os Maridos não respondem às mensagens ou chamadas?

 

É das piores coisas que os homens nos podem fazer. Não é uma questão de andar em cima para saber o que andam a fazer, se bem que há mulheres possessivas, não é este o caso. O responder significa, para a mulher, sentir que está tudo bem ( na maior parte das vezes, que não nos estão a trair, sim, porque esse é sempre o nosso pensamento, mesmo que não queiramos ).

  Ora vejamos... ( ex.: )

 

" - Alô amor, cheguei agora a casa. Só para mandar um  beijo e dizer que Te AMO....liga quando estiveres a vir... mil beijos meu fofo"

      passam 5 min....nada

      passam 10 min..... ( cabeça da mulher ) - " não diz nada?? Hum?          deve estar a falar com o Zé, ele disse que tinha de ir lá "

      passam 25 min.... ( cabeça da mulher ) - " então, não esponde?? o que é que ele anda a fazer.....tanto tempo, até parece que não tem tempo para responder...venho eu para casa porque ele não ia demorar e agora estou a apanhar uma seca....se não me responde logo vou ligar-lhe...vou esperar mais 10 min. Se calhar está a conduzir ou não viu o móvel. "

  Distraída, passam mais 20 min sem resposta..... a mulher passa-se....  ( ca. mu.) - " está a passar-se....nem me diz nada...ando eu a mandar estas mensagens todas queridas, a dizer que o amo muito, que na realidade amo, mas neste momento não quero saber disso, porque pela minha cabeça já me começaram a passar coisas más...como por exemplo, que ele teve um acidente e por isso não me respondeu, que aconteceu alguma coisa de mal com alguém que ele conhece....mas depois desse pensamentos vêm aqueles em que ele se cruzou com alguma boazona, ou que conheceu uma amiga de um amigo toda jeitosa e que se anda a fazer a ela e por isso é que não atende...." - " vou ligar-lhe " .... o telefone toca, toca, toca....caixa de mensagens.... " vou ligar outravez " ....toca, toca,toca....caixa de mensagens.... Os cabelos já estão em pé, já tudo nos irrita neste momento...até o miar do gato, porque o pensamento em que a OUTRA existe mesmo, persiste....é de loucos... ele só pode estar com outra para não me atender, não me responde...nem sequer diz que me ama..... É o drama completo....

   Ao fim de duas horas o companheiro, finalmente.....

1. Responde por mensagem:

   " olá fofinha, estava aqui a falar com o Zé e deixei o movel no carro....estou agora a ir para casa, se precisares que leve alguma coisa diz...beijo minha deusa AMO-TE..."

  ( ca. mu.)- " sou mesmo parva, estou para aqui a magicar parvoíces...mas ele podia estar com outra, mas também se assim fosse não dizia que me amava.... " - A cabeça da mulher acalma e deixa de pensar coisas estúpidas, assim que ele responde....

 

2. Responde por chamada:

Marido - " então fofinha, descul......" interrompido

Mulher - " desculpa lá!, estou aqui á 2 horas á tua espera, vim para casa, não dizes nada...."

Ma - " desculpa baby, estava a tratar das minhas coisas, deixei o móvel no carro e só vi agora.... queres que leve alguma coisa?

Mu - " está bem, está bem....também é sempre a mesma coisa...não quero nada não...xau xau.."

Ma - " Vá, então vou agora para casa...beijos Ba.... " ainda não acabou de falar, já a mulher desligou o telemóvel do outro lado

 

   Como viram, numa pequena situação, uma das mais simples, a cabeça da mulher consegue dar uma volta de 360 º.... Desde o pensamento mais calmo e sensivel, ao pensamento mais mórbido e horrível, do seu marido....

 Nesta situação, se eu fosse homem, optava sempre pela mensagem...deixa-nos mais calmas porque já temos notícias, podemos pensar com calma antes de responder, se quisermos responder....deixa toda a situação e imaginação desaparecer....

 

  • Aquele olhar

    Temos aqueles olhares que nos mandam ao ponto de nos incomodar.
    Temos aqueles olhares que mandam aos nossos maridos e nos deixam furiosas.
    Temos aqueles olhares que nos fazem sentir super sexy's e que não há ninguém melhor que nós.
    Cada olhar faz-nos pensar mil e uma coisas diferentes que nos fazem reagir de maneiras diferentes, muitas vezes sem nos apercebermos.
    Algo curioso, a falar no próximo tema.

2. Olhares de rua.

 

É dia de passear. Vou eu, o meu marido e as crianças. Um passeio à beira mar, apanhar um sol e deixar as crianças brincarem um pouco.

 Saímos do carro, começamos a andar. As miudas já vão mais à frente na correria delas porque só querem é gastar energia. Nós, mais atrás, na nossa calma, vamos a observar tudo o que nos rodeia. Andamos abraçados ou de mãos dadas, mas está tanto calor que já estamos a suar. Então largamo-nos um do outro. Conversa para aqui, conversa para ali....e passa uma miúda gira. Eu, ou melhor, na minha cabeça: "ele olhou para ela e achou-a gira", mas passa. Continuamos a conversa, na boa, como se nada fosse, para mim, porque para ele não se passou nada, e não se passou mesmo nada. Passam duas Bombas, passa-me um frio pela espinha... ele olhou e eu fiquei azeda, mas porquê? Na verdade eu também olhei, quem é que não olha? Mas enerva-me, porque é que ele tem de olhar para elas se me tem mesmo à frente dele. Olho para baixo e a minha cabeça: " Porra pah, porque é que eu não tenho as mamas maiores? Ando aqui com umas tangerinas. Quando estava grávida era ótimo, podia usar decotes e sutiens sem enchimento. E aquelas duas com um parzão de mamas gigantes, com um decote até aos pés..."

  Olho para ele com aquela cara de que não se passa nada...ele ri-se e eu riu-me e contínuamos a andar. Na realidade passo mais eu o tempo todo a observar as gajas que passam por nós do que ele. Mas isso acaba por ser o nosso instinto " animal " feminino a defender o que é nosso, que na verdade, ninguém é de ninguém, mas vocês percebem o que quero dizer.

  Neste caso há mulheres que só de verem o marido a olhar para outra na rua, desatam aos berros com ele, o que só piora a situação, pois podem levar com ele o resto do dia de trombas, porque ela acabou de fazer um filme no meio da rua, podem levar com um " vai á mer...." ou mesmo ver a relação terminar assim.

  Há outras que ficam de trombas o resto do dia. O marido passa o dia todo a levar com bocas foleiras.Às tantas ele acaba por ficar de trombas com ela também, porque ela não esteve nada simpática para ele o dia todo. E assim, sem o marido saber porquê, passaram um dia horrível, porque ela não soube ignorar uma simples situação.

  Aconselho vivamente, numa situação destas: não se passem da cabeça, não façam um filme daqui até á lua ao ponto de ele ficar chateado convosco. É ele que é importante, não as gajas que passam.

 Ter ciúmes faz parte de uma relação, mas há maneiras de os mostrar, como por exemplo mandar uma boca engraçada, para amainar o nosso coração : " Achas gira é? vê lá se queres.... " e riem-se.... ele vai rir-se, tu também e tudo passa...

  Eu sei que a nossa cabeça começa logo a magicar... porque ele achou-a gira, achou-a boa. Ela tem o rabo maior que o meu e eu tenho de ir para o ginásio andar a fazer exercícios para aumentar o músculo do rabo... bolas pá...

 Sabemos lá se ela também não faz exercícios todos os dias, a toda hora, se não toma coisas para ficar mais magra e coisas desse género. Só sei é que eu não tomo, faço exercício todos os dias, alimento-me bem, sou saudável e o meu marido ama-me assim como sou.

Outros olhares

Às vezes temos certas situações que nos incomodam profundamente, olhares que nos dão vontade de ir embora, olhares que dão vontade de fazer pose e olhares que só dão vontade de mandar um belo de um chapadão.

Moro no centro de Lisboa e vou todos os dias trabalhar para o Rossio. Costumo levar o carro, mas hoje atrasei-me e, como todos sabem, Lisboa de manhã é um caos e, para quem gosta de andar de cu tremido, à que levantar o rabo cedo da cama.

Decidi apanhar o metro, algo que odeio, mas como fica a 5 minutos de casa e com o tempo que tenho, não há outra solução. Pelo caminho, a minha cabeça vai sempre a matutar: “ Estúpida pah...podia estar no carro quentinha e agora tenho de levar com aquele cheiro a Lisboa maravilhoso, logo pela manhã...Sovacos transpirados, a respiração com bafos de bocas mal lavadas e aqueles olhares que incomodam...dou em doida com isto”. Enquanto me espanco interiormente, por não me ter levantado a horas, chego à estação do metro e deparo-me com o caos: “ Bolas....já sabia...aahhhhaa “. Que stresse, tudo a querer passar, a pisarem-me os pés, aos empurrões e de repente sinto-me a ser observada. Olho à minha volta, enquanto espero o metro: “Que seboso!... Ehlgrr!..., ao menos que fosse um gajo jeitoso...olha lá para outro lado pah, está-me aqui a comer com os olhos.” Aquela sensação de que aquela personagem não tira os olhos de mim, repugna-me. Isto porque definindo bem a imagem -- homem baixo, por volta dos 50 anos, barba mal feita, palito na boca, barriga a sair fora da camisola, com uma jola na mão e com ar de quem não toma banho há pelo menos 1 semana -- é de uma pessoa ter vontade de fujir dali para fora.

Finalmente chega o metro: “ Aleluia...deixa lá encafuar-me no meio desta multidão e desaparecer da vista daquela coisa “. Ao entrar no metro fico aliviada por ter entrado, mas aquilo que pensei era aquilo que estava a acontecer...eu, em pé, agarrada a um corrimão onde se estão a agarrar mais umas 5 ou 6 pessoas e eu, por ser baixinha, fico a levar com o cheiro a sovaco do pessoal, penso: “ Era nestas alturas que gostava de ser eu a dar com o sovaco ao pessoal....Mãe!!!...porque é que me fizeste deste tamanho??? “. Ao meu lado está uma gaja que olha para mim e manda um bocejo, em que o bafo que lhe saiu da boca me fez automáticamente virar a cara para o outro lado, onde tinha um sovaco. Não sei qual deles o pior. A gaja olha para mim com ar de quem não gostou e o cérebro acelera: “ Mas não gostou do quê? De eu ter virado a cara? Pois claro que não ia ficar à espera da brisa vinda dessa gruta malcheirosa...“ e nesse momento a rapariga desagradada por esta situação encosta-se à porta, olhando para mim cada vez que as portas se abriam. Dava-me uns calores cada vez que ela olhava com aquele ar de carneiro mal lavado... Lá saiu, uma paragem antes da minha.

Ao sair do metro....é um alívio, já não me sinto presa, nem a cheirar mal. Tenho 5 minutos para entrar ao trabalho e quando finalmente chego, sento-me e penso: “ Vou mas é ligar ao meu marido para vir buscar-me. Não me apetece uma aventura destas de novo. Amanhã levanto-me assim que o despertador tocar. Prefiro o trânsito. “

No ginásio

As mulheres gostam de se pôr bonitas, de vestir roupa justa, principalmente de se sentirem sexy’s. Muitas de nós, temos por hábito ir ao ginásio, onde nos conseguimos sentir ainda mais sexy’s e jovens e, claro, aproveitamos e vemos umas coisas bonitas.

Costumo ir ao ginásio umas 3/4 vezes por semana. Faz-me sentir bem comigo mesma. Quando vou treinar, levo sempre calções, não gosto de calças, fazem-me sentir apertada. Enquanto estou a fazer os exercícios de aquecimento, reparo que estão pelo menos uns 2 ou 3 rapazes jeitosos, mas também estão 2 raparigas a treinar. Automaticamente, na minha cabeça, torna-se num género de competição. Começo a fazer os exercícios de pernas e sinto que alguém está a olhar. Então, aí: “ Põe-te direita, faz mais 5 agachamentos...tu consegues “ e já a começar a tremer das pernas, consigo acabar. Super contente porque não parei e mostrei que não desisti, mas no fundo: “ aaaah...dói, isto dói “ a tentar não me ir abaixo nas canelas. Continuo os exercícios...olho para o lado, está uma das raparigas de gatas no colchão a fazer exercícios de pernas, logo: “ Olha esta aqui a tentar dar nas vistas...muito gostam elas de se por de gatas...”, no fundo isto também é inveja, ou é porque tem mais peito, mais rabo ou mais fininha... Começo a fazer barra mas, burra, exagero...como já fiz 45 minutos de musculação, vou para a sauna relaxar. Depois de me esticar, só para me mostrar: “ Eu sou boa...para que é que me ponho com estas coisas?! Amanhã não me mexo. “

Dito e certo, no dia seguinte estou tão partida que não consigo esticar os braços.

MULHERES: não se queiram mostrar!, somos lindas como somos! Precisamos do ginásio? SIM, mas para manutenção do nosso corpitxo e para nos sentirmos frescas e boas.

Dá cabo de nós o trabalho que nos dão....mas lá no fundo gostamos, até um certo ponto.

3. Á nossa maneira

 

 É natural as mulheres gostarem de ter tudo à sua maneira. Então, quando vivemos com homens, parece que nada está como devia, e não está, nunca.

 Desde que vivo sozinha organizo as coisas à minha maneira.

 Viver com crianças é uma dor de cabeça porque deixam tudo por todo lado. Viver com homem, então, é de perder os cabelos.

 

 Levanto-me cedo, passo 2 horas a arrumar e a limpar a casa.... já tirei as peugas mal cheirosas e a camisola que ele deixou ontem á noite na sala, mais um prato de pizza, mais um copo de sumo, o computador aberto e ligado à ficha ( algo que dá comigo em doida ), sacudo as migalhas que ele fez a comer a pizza....por esta altura já estou a bufar e a pensar alto : " porra pá, é sempre a mesma mer... tudo sujo, tudo fora do sítio, estou farta desta mer... porra pá..." e bato com o pé quando ando, para ver se ele acorda e se está a perceber que estou a arrumar. Penso eu : " pode ser que se levante "... Está bem está...vai levantar-se no dia de São Nunca, à tarde. No meio disto, ainda apanho sapatos da filha mais velha, cadernos e lápis.... Ó pá, é um stress...

  Hora de almoço. Depois de tudo mais calmo, para mim claro, porque quem stressa sou eu, digo a todos para virem para a mesa, aproveito a oportunidade para falar sobre a situação, mais ou menos. Sai-me um : "Estive a limpar tudo, está tudo limpo, cheiroso e arrumado " e ele diz : " Eu vi fofinha, está tudo muito limpinho", e eu para mim penso " é, não é?!, mas não foste tu que andaste por aí de rabo para o ar a limpar e a arrumar, ainda deixas tudo por todo lado " ... Frustrante... ainda digo: " Gostava que os meninos deixassem as suas coisas arrumadas, se fazem o favor ", e ouço um: " claro que sim amor "...ainda mais frustrante.

 Passa a tarde, tudo corre bem, já saímos e voltámos, já lanchámos, tomámos banho....Entretanto, já o meu marido deixou os chinelos á beira do sofá e tirou a camisola, deixando-a no braço do sofá... a mais velha também já deixou os sapatos no chão da sala e já foi buscar o lego para fazer na mesa, que já tem um copo e um prato.... Chega a hora do jantar...para além de tudo o que já estava fora do sítio, ainda tenho de lidar com a loiça do jantar, panelas, limpar bancadas, para não ter o dobro do trabalho no dia seguinte.

  Na verdade, às vezes ele até me ajuda a tratar dessa parte, mas como somos sempre nós, mulheres, a tratar de tudo em casa, mesmo ele ajudando de vez enquando, quando não ajuda, a nossa cabeça começa ás voltas e lá vem ela outra vez: " Sempre eu...tudo eu... já limpei tudo hoje, podia dar uma ajudinha " e ele fica ali a olhar para o telemóvel enquanto eu arrumo e limpo tudo depois do jantar. A mais velha de vez enquando ajuda, mas ainda só tem 7 anos, posso dar um desconto.

 Em relação às refeições, não me importo de ser eu a fazê-las. Gosto de cozinhar e ele agradece. Para as mulheres que não gostam de cozinhar, se tiverem um marido que saiba e goste, aproveitem, pode ser a única coisa que ele venha a fazer em casa sem terem de lhe implorar. Já por outro lado, se o vosso marido não gosta de cozinhar, imponham-se, façam com que ele fique encarregue de algo, senão vão ter de fazer tudo sozinhas.

  A verdade é esta, quando nós Mulheres fazemos as nossas birras e batemos o pé, porque não pode ser assim...ele tem de ajudar, vivem todos na mesma casa e não somos escravas de ninguém... nos próximos 3 dias a casa está sempre arrumada, a cama sempre feita, não vejo sapatos espalhados, é uma maravilha. Mas passados esses 3 dias, já aparece um ou dois pratos no lava loiças em vez de estarem na máquina, uma T-shirt no braço do sofá... No dia seguinte, os pratos continuam no mesmo sítio, a T-shirt também, mas esperem....já há mais qualquer coisa...migalhas, um pacote de iogurte, com uma casca de banana e a colher em cima do braço do sofá, já colada à T-shirt....huhhhurr. E aí começam a vir os fervores outra vez e a cabeça dá de si: " é pá, outra vez...estou farta disto, já estou farta de limpar a sujeira dos outros....qualquer dia pego nas minhas coisas e vou-me embora...não sou criada de ninguém ". Mas na realidade, é tudo da cabeça para fora....por mais que limpe e arrume, a vida é boa, damo-nos todos bem, há amor para aguentar estas coisas.

 

    Quando nos juntamos ou casamos, temos de conhecer bem a pessoa que vem morar conosco, se bem que os homens são todos iguais nesse aspeto, são mesmo. Não podemos estar à espera de ir viver para as sete quintas. Eles dizem que não conseguem entender a cabeça das mulheres, não é fácil, mas viver com a sujeira e desorganização deles também não é fácil.

   É claro que quando conhecemos a pessoa com quem vamos morar pensamos logo, " será que é arrumado, será que lava os dentes todos os dias ou é só para os encontros? será que cheira mal da boca quando acorda? ( típico ) será que cheira a chulé? ", se calhar para os homens nem lhes passa pela cabeça, nem que nós pensamos este tipo de coisas. Mas na verdade, faz sentido. Precisamos de nos preparar para lidar com este tipo de situações. Se calhar é por causa da desarrumação, desorganização e falta de higiene que muitas relações terminam... acredito que possa já ter acontecido. Há mulheres que não aguentam certo tipo de coisas durante muito tempo. Mas temos de aguentar certo tipo de coisas, senão nunca vamos conseguir viver com ninguém. Eu sei, é frustrante, levar com a desrrumação dos nossos parceiros, mas se pensarmos bem, ninguém é perfeito e há outras coisas que compensam isso, como o facto de termos um grande maridão, que nos diz todos os dias que nos ama, que se preocupa conosco.

  Também foi dificil para mim aprender a lidar com certas situações. Foi 1 ano pelo menos para me habituar, mas ele também teve de se habituar... É preciso muita paciência para criar e manter uma relação. É por as pessoa não terem paciência para lidar umas com as outras e não saberem ouvir, que a maior parte das relações não resultam e normalmente quem perde mais fácilmente a paciência são as mulheres, ao contrário dos homens que conseguem ser muito mais pacíficos e têm paciência para os nossos dias de mau humor. PACIÊNCIA, MULHERES, há que ter paciência para eles também. Se eles não existissem era bem pior. Temos de nos conformar que:

  1º A maior parte dos homens não está habituado a fazer nada em casa, logo temos de nos adaptar a eles e ensinar-lhes a fazer certas coisas, com o tempo, claro. Não estejam á espera que eles começem a fazer tudo de um dia para o outro. É impossível.

 2º A maior parte dos homens são pouco asseados. É horrível admitir, mas é verdade. Eles só começam a ter mais atenção a certos promenores à medida que os anos passam e que convivem conosco a dar-lhes na cabeça todos os dias.

 3º E por mais que arrumem e que limpem, vão ser poucas as vezes que eles vão perguntar se precisamos de ajuda e vamos encontrar sempre coisas deles espalhadas por todos os lados.

 

  Passados uns anos, se tiverem paciência para o aturar, podem ter a certeza que começam a ter mais descanso em relação a isso tudo, porque aí eles já estão domados. ( adoro dizer isto )

 Depois temos aquela questão de que eles não são todos iguais. Não são. Quando falei, falei de quase todos. Pois também existem aquelas raridades, que nunca mudam, por mais que nós lhes apertemos os calos. Isso é difícil de aturar. Se ao fim de 4 ou 5 anos ele não mudar absolutamente nada, é para esquecer. Não percam tempo.

 Também existem outras raridades, que são aqueles que sempre foram asseadinhos, desde o dia em que o conheceram. Esses, que são aqueles que cheiram sempre bem, têm sempre os dentes branquinhos, que deixam sempre tudo arrumado e limpo e, acima de tudo, nos tratam como deusas, esses agarrem-nos com unhas e dentes. Raríssimo.

 

  • Para quem gosta de andar de saltos altos....Ficamos sexy's, poderosas e mais altas, mas temos um obstáculo pela frente....a calçada Portuguesa, que é uma desgraça para as mulheres que gostam de um sapatinho mais alto. Passamos a vida a enfiar os saltos nos buracos da calçada, não tem jeito nenhum. Enquanto ando,vou pensando para mim: " concentra-te...um pé de cada vez. Qualquer coisa vais em bicos dos pés para não partires os tornozelos.." é ridículo, não é?
    Pior....é que vou passar férias para o Alentejo, que não tem absolutamente nada...e os passeios lá estão impecáveis...não há buracos e dá para andar de saltos sem me preocupar.
    Fazia-nos falta um passeio Alentejano em Lisboa, aí sim, as mulheres que gostam de andar de saltos andavam todos os dias de saltos, sem se preocupar.